Como a Evolução Falhou no Teste Científico?

09
May

Como a Evolução Falhou no Teste Científico?

Copyright  1980 by
Joe Crews (Amazing Facts)
All Rights Reserved

Published under permission by:
COCONET-US, LLC. (Educational Department)
2207 East Snow Rd
Berrien Springs, MI 49103-9782

“Lança teu pão sobre as águas, porque, depois de muitos dias, o acharás”. Eccl. 11:1 

Como a Evolução Falhou No Teste Científico

Recentemente  eu conversei com um homem que tinha uma fé incrível. Nenhuma sombra de dúvida assaltava sua  animada descrição da origem e destino do homem.  Ele era um evolucionista que eu encontrei no avião em uma ponte aérea que fazia aqui nos Estados Unidos. Com incrível confidência ele traçava pontes com  eons de tempos da pré-história para explicar a existência  da vida animal e vegetal da era moderna. Sua detalhada descrição da ascendência humana de uma mono-célula  monada era tão vívida e convencedora que um quase que poderia  acreditar ele havia visto uma microscópica ameba tornar-se em um ser humano.

O que é esta doutrina da evolução a qual inspira tamanha fé em seus discípulos? Como que isso tem tornado grandes cientistas em dogmáticos oponentes de qualquer outro ponto de vista?  Muitos cientistas evolucionários tem unido suas influências profissionais para proibir qualquer sala de aula de instruir opiniões contrárias às suas opiniões e ponto de vistas. Será que a teoria da evolução merece esse tipo de suporte fanático, o qual sufoca qualquer outra idéia oposta a esta? Quando pessoas religiosas tomam posições contrárias às deles (dos cientistas), estas pessoas são chamadas de intolerantes e radicais, mas por outro lado, os cientistas parece que se escapam de assim serem classificados. Em 1977 aproximadamente 200 membros da comunidade acadêmica dos Estados Unidos mandaram cartas para os coordenadores de escolas através de todo o país chamando a atenção para que nenhuma idéia alternativa com relação à origem do homem fosse permitida nas salas de aula.

Isto indica que os evolucionistas estão sentindo as ameaças de uma crescente revolta contra estas estereotipadas e contraditórias versões de suas teorias. Muitos estudantes estão à busca de uma honesta resposta para suas dúvidas com relação a origem e significado da vida. Pela primeira vez, as velhas tradições da evolução tem que ficar na defensiva. Mas vamos dar uma olhada no que eles tem que defender. Depois voce entenderá porque estes cientistas evolucionários são pessoas de uma fé extraordinária, e porque eles estão assim com tanto medo em ter que encarar uma competição a nível escolar.

 

GERAÇÃO EXPONTÂNEA

Como os cientistas explicam a existência deste primeiro animal unicelular, do qual a vida supostamente evoluíu? Por muitos anos a idéia medieval da geração expontânea era  aceita como sendo uma explicaçao aceitável. De acordo com “Webster”, geração expontânea é: “geração da vida através da matéria inanimada”… isto é tirado da crença, agora abandonada, que organismos encontrado em matéria orgânica podre, crescem expontaneamente.”

Assim simplesmente dito,  isso significa dizer que sob certas condições de temperatura, tempo, lugar e espaço, etc… a matéria decomposta vem a tornar-se uma vida orgânica. Esta idéia simplista dominou a pensamento científico até 1846, quando Louis Pasteur completamente destroçou esta teoria com seus experimentos. Ele expôs o conceito inteiro como sendo uma completa tolice. Sob condição de semi-vácuo, em  laboratório,  vida orgânica nenhuma nunca emergiu de uma matéria decomposta e sem vida. Relutantemente isto foi abandonado como uma válida matéria científica. Hoje, nenhum cientista reputável tenta defender isso em uma base demonstrável. Isto é o porque de “Webster” diz que isso “agora abandonado”. Isto nunca foi e nunca foi  e nunca poderá ser demonstrado em um tubo de ensaio. Não existe nenhum processo atualmente que possa ser observado e demonstrar a idéia de geração expontânea. Óbviamente, se geração expontânea alguma vez teve efeito num passado remoto para produzir a faísca da vida, isto teria que ser assumido que as leis que governam a vida deveriam ser completamente diferentes do que elas são hoje. Hei! Espera um pouco! Isto não funciona também! Porque toda a teoria evolucionista está ancorada na assunção de que as condições de nosso planeta através dos séculos tem se mantido uniforme.

Você começa a perceber o dilema que os evolucionistas tem em explicar que a primeira ameba, ou monad, ou qualquer forma de primeira célula de vida? Se isso formou-se espontaneamente de uma pré-existente vida, isto contradiz a lei básica da natureza na qual se baseia e forma toda a teoria. E assim mesmo, sem acreditar em geração espontânea, os evolucionistas deveriam reconhecer alguma outra coisa do que a força natural em serviço – em outras palavras, Deus. Como eles circundam este dilema?

Dr. George Wlad, vencedor do Prêmio Nobel, da Universidade de Harward, afirma isso crítico e honestamente o quanto pode um evolucionista:

“Nós temos somente que contemplar a magnitude desta tarefa que concede que a geração expontânea de um organismo vivo é impossível. No entanto aqui estamos – como resultado, eu acredito em geração expontânea.” Scientific American, Agôsto, 1954

O depoimento do Dr. Wlad

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Leave a comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Translate »