News

Doutrina

09
May

Por Que Deus Disse: Lembre-se?

Porque Deus Disse Lembre-se?

Copyright  1980 by
Joe Crews (Amazing Facts)
All Rights Reserved

Published under permission by:
COCONET-US, LLC (Educational Department)
2207 East Snow Rd
Berrien Springs, MI 49103-9682

“Lança teu pão sobre as águas, porque, depois de muitos dias, o acharás”. Eccl. 11:1 

 

Porque DEUS disse Lembre-se?

 

Numerosas pesquisas e questionários tem confirmado que a mais popular forma do moderno cepticismo é a negação da história da criação.  Setenta e dois porcento dos ministros entrevistados expressaram vários degrees de dúvidas de que DEUS tenha atualmente chamado este mundo à existência, de acordo com o relato Bíblico. Esta descrença fundamental tem levado muitos à outra fundacional doutrina do Cristianismo tal como o imaculado nascimento e o reconciliamento.

Isto é interessante notar que DEUS aparentemente já antecipava este monte de controvérsias sobre a descrição em Gênesis, sobre a “FIAT Criação”. Suas alegações da manufatura dessa excitante massa de matéria por meramente comandar isto a existir – bem, certamente que existiriam aqueles que duvidariam e seriam descrentes de tal descrição. E até mesmo aqueles que leram a respeito disso e acreditaram que isso assim foi, iriam brevemente esquecer este milagroso fato, sobre a influência confusa de milhares de deuses que iriam surgir.

Assim DEUS precisava fazer algo não-usual para preservar o conhecimento deste Seu poderoso ato da criação. Esta força de falar e trazer os céus e a terra em existência iria distiguir ELE de todos os falsos deuses e suas enganadoras demandas.

O que poderia ELE fazer, para que toda a humanidade de uma forma inequívoca ficasse apontando para a focal semana da criação, quando ELE para sempre estabeleceu SUA divina autoridade?

 

CRIAÇÃO – A MARCA DA SOBERANIA DE DEUS

DEUS escolheu memorializar aquele convincente display da força criativa em colocando de lado o sétimo dia da semana da criação como um dia santo, de descanso e lembrança. Isto constituiria uma tremenda salvaguarda para a soberania de DEUS – uma marca de Seu direito de exercer as prerrogativas do único DEUS verdadeiro. Isto iria, ao mesmo tempo servir de um devastador sinal para por por terra todo e qalquer deus que não criaram os céus e a terra.

Os escritos dos profetas do Antigo Testamento estão saturados com lembretes da peculiar força de criação de DEUS. Davi escreveu: “Porque todos os deuses dos povoso são coisas vãs; mas o Senhor fez os céus.” Salmos 96:5. Jeremias expressou assim: “Mas o Senhor DEUS é a verdade; ele mesmo é o DEUS vivo e o Rei eterno; do seu furor treme a terra, e as nações não podem suportar a sua indignação. Assim lhes direis: Os deuses que não fizeram os céus e a terra desaparecerão da terra e de debaixo deste céu. Ele fez a terra pelo seu oder; ele estabeleceu o mundo por sua sabedoria e com a sua inteligência estendeu os céus.” Jeremias 10:10-12.

Teve DEUS, por ele mesmo, demonstrado extrema urgência de manter a verdade da criação vívida ante aos olhos do mundo? Sim. Em tal degree que ELE escreveu no coração de Sua grande lei moral a exigência de cumprimento de todo o ser vivente em manter o Sábado santo, e assim, reconhecer Sua divina autoridade. Com estes princípios eternos tendo como a fundação de Seu governo e refletindo o seu próprio perfeito carácter, DEUS escreveu estas palavras: “Lembra-te do dia do Sábado, para o santificar. Seis dias trabalharás, e farás toda a tua obra; Mas o sétimo dia é o Sábado do Senhor teu DEUS; não farás nenhuma obra, nem tu, enm teu filho, nem filha, nem o teu servo, nem a tua serva, nem o teu animal, nemm o teu estrangeiro, que está dentro das tuas portas. Porque em seis dias fez o Senhor os céus e a terra, o mar e tudo que neles há,  e ao sétimo dia descansou; portanto abençoou o Senhor o dia do Sábado, e o santificou.” Êxodo 20:8-11.

Que tamanho ato para resplandecer esta onipotente obra da criação! Uma vez por semana, na medida em que a terra gira em seu próprio eixo, o Sábado viaja ao redor da terra, atingindo a todo o homem, mulher, criança, para lembrá-los deste instante ato da criação. Porque DEUS disse lembre-se? Porque esquecer-se do Sábado é esquecer-se também do Criador.

 

CONVERSÃO – CRIATIVA FORÇA TRABALHANDO

Paralelo ao relato da criação física, nós encontramos o relato da força de DEUS em recriar o coração humano. Evidentemente, os dois processos originam-se da mesma onipotente fonte. Isto requer a mesma quantidade de força para efetuar a conversão ou recriação como fazer alguma do nada passar a existir. Disse o o apóstolo: “E vos revistais do novo homem, que segundo DEUS é criado em verdadeira justiça e santidade.” Efésios 4:24. Desde que o novo nascimento é a mais básica identificação do crente justificado, não é de se admirar de que os escritores da Bíblia constantemente estão a lembrar-nos da força criativa que distingue o verdadeiro DEUS de todos os outros falsos deuses.

Apontando além do mero fato de uma física criacão, DEUS falou também estas palavras: “ E também lhes dei os meus Sábados, para que servissem  de sinal entre mim e eles; para que soubessem que eu sou o Senhor que os santifica.” Ezequiel 20:12.

Note por favor, de que o Santificado Sábado serviria de sinal para o santificado povo. A palavra Santificado, significa colocar de lado para uso santo ( um dia o qual falaria da criativa força de DEUS), serviria também como lembrança de que DEUS também poderia separar um povo para uso santo através de regeneração ou recriação.

Na luz destes fatos, isto é fácil entender o porque de Satanás tem lançado uma contínua e desesperada batalha contra o Sábado do sétimo-dia. Por quase seis mil anos ele tem trabalhado através de orgulho de tradição, desinformação e traições religiosas a destruir a santidade deste especial sinal da autoridade de DEUS – O Sábado.

Como marca do direito de DEUS em reinar, o Sábado desafia a fanfarronice de Satanás de que ele tomaria o lugar de DEUS. Disse o adversário: “Eu subirei ao céu, acima das etrelas de DEUS exaltarei o meu trono, e no monte da congregação me assentarei, da banda do norte. Subireiacima das mais altas nuvens, e serei semelhante ao Altíssimo.” Satanás, atualmente, queria ser adorado. Para atingir o seu objetivo, ele teria que nulificar a Afirmação de DEUS como o regente de direito do universo. A autoridade de DEUS estava assentada em sua afirmação  em dizer ser o Criador, o Sábado era a marca desta autoridade. Em destruindo o Sábado, Satanás preparia o caminho para estabelecer um falso governo baseado em falsos reclamos de autoridade simbolizado por um falso dia de adoração.

 

A BATALHA SOBRE A AUTORIDADE

É fascinante olharmos para trás através dos séculos e vermos o resultado desta grande controvérsia entre Cristo e Satanás. O ponto focal desta batalha tem sempre sido sobre o objeto autoridade.

A estrategia do malígno tem sido um bi-furcado ataque sobre os reclamos de DEUS como o Criador. Primeiro, pela teoria da evolução com a doutrina humanística da seleção natural. Segundo, por um esforço que se estende através dos séculos em tentar destruir a observância do Sábado do sétimo-dia, a marca da força criativa.

Nós somente podemos dizer em passando cada uma dessas infernais tentativas em desacreditar a autoridade divina tem produzido um amargo sucesso, além de qualquer expectativa. Milhões tem sido tornados cépticos religiosos e agnósticos, como resultado da doutrina de Darwin da evolução orgânica. Negando qualquer queda do homem a qual necessitaria um Salvador para o pecado, evolução ataca o plano da redenção bem como o fato da criação.

Em um similar jeito, os ataques de Satanás sobre o Sábado tem levado milhões a desobedecer um mandamento do Decálogo o qual DEUS fez com específico propósito de testar a obediência à lei inteira.

Um bem sucedido plano para subverter a lealdade de milhões os quais eram devotados ao verdadeiro DEUS requeria um master-plano de satânica estratégia. Isto levaria tempo. Isto envolveria séculos de enganadores planos para dobrar a mente humana. Não haveria uma dramática troca de adoradores de DEUS para servidores de Satanás. O segredo seria vencer e ganhar a obediência através de subterfúgios religiosos. Satanás entendia o pricípio descrito em Romanos 6:16 muito antes de Paulo pensar em escrevê-los “Não sabeis vós que a quem vos apresentardes por servos para lhle obedecer, sois servos daquele a quem obedeceis, ou do pecado para a morte, ou da obediência para  a justiça?”

Obediência é a mais alta forma lealdade e adoração. Se Satanás pudesse criar uma matéria a qual pudesse fazer com que as pessoas desobedecessem a DEUS, ele teria uma escassa chance de ter suas obediências para a sua causa. A decisiva disputa tomaria efeito sobre a lei de DEUS. Isto constituía a fundação do governo de DEUS. Como Satanás poderia destruir a confidência do povo na lei de DEUS e fazer as com que eles o obedecessem? E que mandamento deveria ele atacar? Óbviamente, aquele que apontava para a força criativa de DEUS e Seu direito de reinar. Como o sinal identificativo do verdadeiro DEUS, o Sábado tem sempre sido objeto de um satânico ódio. DEUS tem escolhido o Sábado como teste de lealdade à Sua lei, no Antigo Testamento: “… para Eu ver se andam na minha lei ou não.” Êxodo 16:4 (última parte).

 

PONTO DE TESTE DA LEI

Desde que DEUS tem feito o Sábado o ponto de teste de todo os Dez Mandamentos, Satanás determinou-se a fazer deste o seu gigante ponto de batalha através de todos os séculos. Em  destruindo o Sábado, Satanás estaria preparado para lançar seu super-plano para reclamar a obediência a um falso dia de adoração. Manipulando a fraqueza de um compromitido cristianismo que vagarosamente ascendia às pagãs influências, Satanás armou seu master-plano – uma igreja-estado de carácter mundial – que inescrupulosamente iria forçar lealdade ao seu falso sistema de adoração.

Por mais de mil anos, começando com a muito falada coversão para o cristianismo do pagão imperador Constantino, a história negra da apostazia se desenrolou. Um dos primeiros atos deste novo professo cristão imperador foi fazer uma lei contra os que guardavam o Sábado e instituiu outras leis, requerindo descansar no primeiro dia da semana, um selvagem dia de adoração pagã ao Sol.

Nós não iremos discutir neste livro, esta bem-documentada história da igreja papal e seus concílios que forçavam observância ao pagão dia-do-Sol, sobre pena de morte. Os fatos são muito bem-conhecidos para aqueles que concordam em pesquisar os registros com uma mente aberta. Durante os quartos e quintos séculos de nossa era, o primeiro dia da semana era exaltado pelo decreto-papal em substituir o verdadeiro Sábado Bíblico.

Infortunadamene, falsas opiniões e falsas informações tem levados milhões de cristãos a fecharem os seus olhos para esta estarrecedora evidência histórica dessa substituição. As raízes destas falsas opiniões, não é difícil de identificar. Satanás tem trabalhado por muito tempo em seu sistema de oposição para permitir que isso seja rejeitado assim tão facilmente. Através dos tempos ele tem aperfeiçoado uma série de falsos e sutís argumentos para suportar a obediência ao seu falso dia de adoração. Ele continua a odiar o Sábado que identifica o verdadeiro DEUS.

Somente na medida que nós expomos estes ataques ao Sábado do sétimo-dia, é que nós estaremos aptos a entender o porquê milhões e milhões continuam a observar o primeiro dia da semana, um dia pelo qual não existe suporte algum, em texto algum da Bíblia. Ninguém discorda com o significado da lei escrita pela mão de DEUS, “O Sábado do sétimo-dia é o Sábado do Senhor… nele voce não deverá fazer nenhum trabalho.” No entanto milhões não obedecem a isto. Ninguém pode refutar a estarrecedora evidência das origens pagãs do domingo, no entanto milhões o guardam, ao invés de estarem guardando o Sábado planamente comandado nos Dez Mandamentos. Porque?  Eu repito, a razão está enraizada um astuto argumento de Satanás que tem criado um clima de desvantagem contra o Sábado do Senhor. Nós iremos agora examinar alguma das maiores falácias destes argumentos.

 

O SÁBADO FOI FEITO SOMENTE PARA OS JUDEUS

Esta falsidade tem ganhado tal força que multidões de cristãos referem-se isto, como “Sábado dos Judeus.” Mas em lugar nenhum da Bíblia nós encotramos tal expressão. Isto é chamado “o Sábado do Senhor,” mas nunca “o Sábado dos Judeus.” Êxodos 20:10. Lucas era um escritor Gentio do Novo Testamento e frequentemente fez referencias para coisas que eram peculiaridade dos Judeus. Ele falou da “Nação dos Judeus,” o “povo dos Judeus”, a “terra dos Judeus”, e “a sinagoga dos Judeus.” Atos 10:22; 12:11; 10:39; 14:1. Mas por favor, note que Lucas nunca referiu-se ao “Sábado dos Judeus”, muito embora ele tenha repetido a palavra Sábado, inúmeras vezes. Cristo claramente ensinou que “O Sábado foi feito para o homem.”Marcos 2:27. O fato é que Adão era o único homem em existência na ocasião em que DEUS fez o Sábado. Nesta ocasião, não existia Judeus no mundo, pelo menos até 2,000 anos depois da criação. Isto nunca poderia ter sido feito para eles. Jesus usou o termo “homem” em senso genérico, referindo-se à humanidade. A mesma palavra é usada em conexão com a instituição do casamento que também foi criada ou introduzida na criação. Mulher foi feita para o homem assim como o Sábado também foi feito para o homem. Certamente ninguém acredita que casamento é somente para os Judeus.

O fato é que estas duas lindas instituições foram  criadas pelo próprio DEUS, antes mesmo do pecado vir a existir nesse mundo. Casamento e Sábado. Ambos foram criados para o homem, ambos receberam a especial benção do Criador e ambos continuam a ser santas do mesmo jeito que elas eram santas no Jardim do Éden. Com o mesmo gráu de intensidade.

Interessante também é notar que Jesus foi O que criou o Sábado, na primeira semana (na semana da criação). Existia uma razão para a Sua afirmação em dizer “Ser o Senhor do Sábado”, Marcos 2:28. Se ele é o Senhor do Sábado, então Sábado tem que ser o Dia do Senhor. João teve uma visão no “Dia do Senhor,” de acordo com Apocalipse 1:10.  Aquele dia tem que ser Sábado. Este é o único dia assim desiginado e reclamado por DEUS na Bíblia. Em escrever os Dez Mandamentos, DEUS chamou isto de “O Sábado do Senhor.” Êxodo 20:10. Em Isaías Ele é parafraseado como dizendo: “O Sábado, meu santo dia.” Isaías 58:13.

Mas nós não podemos menosprezar o fato de que este DEUS que criou o mundo e fez o Sábado foi o próprio Jesús Cristo. João escreveu: “No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com DEUS, e o Verbo era DEUS. Ele estava no princípio com DEUS. Todas as coisas foram feitas por ele, e sem ele nada do que foi feito se fez. E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade.” João 1:1-3, 14.

Paulo claramente iddenficou Jesús como o Criador, “ …O qual nos tirou da potestade das trevas, e nos transportou pra o reino do Filho do seu amor; Em quem temos a redenção pelo seu sangue, a saber, a remissão dos pecados; O qual é a imagem do DEUS invisível, o primogênito de toda a criação; Porque nele foram criadas todas as coisas que há nos céus e na terra, visíveis e invisíveis, sejam tronos, sejam donimações, sejam pricipados, sejam potestades: tudo foi criado por ele e para ele.”

Para cristãos, separar Jesús do Sábado é um trágico erro. Porque Ele é o Autor, o Criador, o Santificador, e o Arquitéto do Sábado. Não contar com as bençãos que Ele colocou sobre este dia é negar sua autoridade.

Este argumento tem levados muitos a acreditar que o Sábado existiu somente por um limitado período de tempo seguindo-se à criação. Mas é isso um fato? Atualmente, o Sábado nunca poderia ser um tipo ou sombra de qualquer coisa, pela simples razão de que ele foi criado antes do pecaod haver entrado na família humana. Certas sombras e observações típicas foram instituídas como resultado do pecado, e apontavam à frente para a libertação do pecado. Como tais, eram os sacríficios empregados para simbolizar a morete de Jesús, a Cordeiro de DEUS. Jamais existiria sacrifícios de animais se não tivesse existido pecado. Estas ofertas foram abolidas quando Cristo morreu na cruz, por causa que os tipos encontraram o seu cumprimento (Mateus 27:51). Mas nenhuma sombra existiu antes do pecado ter entrado nesse mundo; portanto, o Sábado não poderia ter sido incluído na lei cerimonial de tipos e de sombras.

Paulo referiu-se ao sistema temporário de ordenanças em Colossenses 2:14-16 como sendo “contra nós” e “ao contrário de nós.” Ele atou isso às ofertas de carnes, e as ofertas de bebidas e aos antigos festivais da lei que foram riscados fora. Isto é verdade também que ele se referiu a sábados neste texto, mas note cuidadosamente que ele chamou eles de dias de sábados, os quais são sombras das coisas por vir. Foram alguns dias de sábados riscados fora, na cruz?  Sim, existia pelo menos quatro primitivos sábados os quais vinham em certos dias do mes, e eles foram pregados na cruz. Eles eram sombras e requeriam especificadas carnes e bebidas como oferta. Todos estes sábados anuais são descritos em Levíticos 23:24-36, e depois feito um sumário nos versos 37 e 38: “Estas são as solenidades do Senhor, que apregoareis para santas convocações, para oferecer aos Senhor oferta queimada, holocausto e oferta de manjares, sascrifício e libações, cada qual em seu dia próprio. Além dos sábados do Senhor, alem dos vossos dons, e além de todos os vossos votos, e além de todas as vossas ofertas voluntárias que daries ao Senhor.”

As Escrituras planamente diferencia entre os anuais (sombra) sábados e o Sábado semanal, o “Sábado do Senhor.” Os sábados cerimoniais foram abolidos na cruz; eles foram adicionados em consequência do pecado. Mas o Sábado dos Dez Mandamentos foi santificado, posto de lado, bem antes do pecado ser introduzido e mais tarde foi incorporado na grande lei moral escrita pelo dedo de DEUS. Isto era eterno em sua própria natureza.

 

GUARDE QUALQUER DIA DA SEMANA

Com este argumento Satanás preparou o mundo para aceitar o substituto no lugar do Sábado que DEUS havia comandado. Mediante as ‘tábuas-de-pedra’ DEUS escreveu a grande, imutável lei dos séculos. Toda a palavra era séria e significativa. Nem uma linha era ambígua ou misteriosa. Pecadores e cristãos, educados e não-educados, não tem problema nenhum em entender as simples e claras palavras dos Dez Mandamentos. DEUS pensou no que ele disse; e disse o que Ele pensou. Ninguém tem tentado anular esta lei dizendo ser muito complicada para entender.

A maior parte dos dez preceitos começam com a mesma palavra: “NÃO”, mas no coração (no meio) da lei nós encontramos o quarto mandamento, o qual é introduzido com a palavra “Lembra-te.” Porque este um é diferente? Porque DEUS estava comandando eles a trazerem algo em memória, que já existia mas tinha sido esquecido. Gênesis descreve a origem do Sábado com estas palavras: “Assim os céus e a terrra e todo o seu exército foram acabados. E havendo DEUS acabado no dia sétimo a sua obra, que tinha feito, descansou no sétimo dia de toda a sua obra, que tinha feito. E abençoou DEUS o dia sétimo, e o santificou; porque nele descansou de toda a sua obra, que DEUS criara e fizera.” Gênesis 2:1-3.

Que dia DEUS abençoou e santificou?  O sétimo dia. Como este dia deveria ser mantido santo?  Em descansando. Poderia algum dos outros dias ser mantidos santos? Não. Porque? Porque DEUS não comandou para descansar nestes dias, mas para trabalhar. Faz a benção de DEUS alguma diferença? É claro que faz. Isto é o porque que os pais oram a DEUS para que abençoe os seus filhos. Eles acreditam que isso faça diferença. O sétimo dia é diferente de todos os outros seis, porque ele tem as bençãos de DEUS.

Mais algumas questões: Porque DEUS abençoou este dia?  Porque Ele criou o mundo em seis dias, isto era o nascimento do mundo, o memorial de um poderoso ato. Pode o memorial do Sábado ser trocado? Nunca…!  Porque ele aponta para trás, para um fato consumado. 7 de Setembro é o dia da Independência do Brasil. Pode isso ser mudado? Não. Porque a independência do Brasil foi proclamada neste dia, 7 de Setembro de 1822. Pela mesma razão a data de seu nascimento não pode ser mudada. Isto é o memorial de seu nascimento, o qual aconteceu num dado dia no passado. A história teria que retroceder no tempo e trocar o dia do seu nascimento para que isso pudesse tomar efeito, o mesmo caso com o dia da Independência. O MESMO CASO COM O SÁBADO. Nós poderemos até chamar a outro dia, como o dia da Independência, e nós podemos chamar a um outro dia  de Sábado, mas isso não mudará o dia em nem um segundo sequer.

Deu DEUS o privilégio de escolha para o homem para escolher o seu próprio dia de descanso? Não, Ele não deu. Em fato, DEUS confirmou na Bíblia que o Sábado foi estabelecido e selado pela Sua própria seleção divina e não deveria ser obstruído sob qualquer circunstância. Leia Êxodus 16 concernente à dádiva do maná. Por 40 anos DEUS mostrou tres milagres semanais, todas as semanas, para mostrar para Israel qual o dia que era santo. (1) Nenhum maná caia no sétimo dia. (2) Eles não podiam guardas isso para o outro dia, pois estragava, mas (3) quando eles guardavam o maná de Sexta-feira para Sábado, isto conservava o sabor e a frescura do dia anterior.

Mas alguns Israelitas tiveram a mesma idéia que alguns dos modernos cristãos tem. Eles sentiram que qualquer dia entre os sete estaria ok para ser santo: “E aconteceu ao sétimo dia , que alguns do povo sairam para colher, mas não o acharam. Então disse o Senhor a Moisés: Até quando recusareis guardar os meus mandamentos e as minhas leis?”

Entendeu o quadro? Aquelas pessoas pensavam que qualquer outro dia poderia ser guardado da mesma forma como o sétimo. Talvez eles estivessem planejando guardar o primeiro dia da semana, ou algum outro dia era mais conviniente para eles. O que aconteceu? DEUS encontrou-se com eles e os acusou de estarem quebrando sua lei e indo trabalhar no sétimo dia. Iria DEUS dizer a mesma coisa hoje para aqueles que quebram o Sábado? Sim, Ele é o mesmo ontem, hoje e para sempre – ELE não muda. DEUS fez isso muito claro que, independente do sentimento deles, aqueles que vão em frente e trabalham no Sábado são culpados de quebrantar a Sua lei. Tiago explica que isto é pecado até mesmo quebrar um desses Dez Mandamentos. “Porque qualquer que guardar toda a lei, e tropeçar em um só ponto, tornou-se culpado de todos. Porque aquele que disse: Não cometerás adultério, também disse: Não matarás. Se tu poios não cometeres adultério, mas matares, estás feito transgresor da lei.” Tiago 2:10, 11.

 

NÓS NÃO PODEMOS LOCALIZAR
O VERDADEIRO SÉTIMO DIA

Esta é a falácia que tem confortado a muitos em sua desobediência ao 4th mandamento. Isto simplesmente não é verdade. Aqui estao tres positivas provas que identificam o verdadeiro Sábado, hoje:

  1. De acordo com as Escrituras, Cristo morreu na Sexta-feira e ressussitou no Domingo, o primeiro dia da semana. Praticamente todas as igrejas reconhecem este fato em observar o Domingo de Páscoa e Sexta-feira Santa. Aqui está a evidência Bíblica: “… Esse chegando a Pilatos, pediu o corpo de Jesús. E, havendo-o tirado, envolveu-o num lençol, e pô-lo nu sepulcro escavado numa penha, onde ninguém ainda havia sido posto. E era o dia da preparação, e amanhecia o Sábado.” Lucas 23:52-54. Aqui esta a prova que Jesús morreu no dia antes do Sábado. Este era chamado o dia da preparação, porque era hora para começar a se preparar para o Sábdo. Deixe-me ler os próximos versos: “E as mulheres, que tinham vindo com ele da Galiléia, seguiram também e viram o sepulcro, e como foi posto o seu corpo. E voltando elas, preparam especiarias e unguentos; e no Sábado repousaram, conforme o mandamento.” Versos 55, 56.                   Por favor notem que as mulheres repousaram no Sábado, “conforme o mandamento.” O mandamento diz: “O sétimo dia é o Sábado,” assim nós sabemos que eles estavam observando o Sábado. Mas no próximo verso diz: “E no primeiro dia da semana, muito de madrugada, foram elas ao sepulcro levando as especiarias que tinham preparado. E acharam a pedra revolvida do sepulcro.” Lucas 24:1, 2. uão claro estes tres consecutivos dias são descritos para nós. Ele morreu Sexta-feira, o dia da preparação, comumente chamado Sexta-feira santa. Ele descansou na tumba no sétimo dia, Sábado, “de acordo com o mandamento.” Isto foi Sábado. Depois, no Domingo, o primeiro dia da semana, Domingo de Páscoa, para muitos, Jesus levantou-se da sepultura. Qualquer um que pode localizar Sexta-feira ou Domingo de Páscoa não terá absolutamente dificuldade nenhuma em encontrar o verdadeiro Sábado.
  2. O calendário não tem sido trocado assim para confundir os dias da semana. Nós podemos estar positivos de que o nosso sétimo dia é o mesmo dia que Jesús observou quando Ele aqui esteve. O Papa Gregório XIII fez uma troca no calendário em 1582, mas isso não interferiu com ciclo semanal. Nosso Greoriano calendário atual herdou este nome, quando ele fez esta pequena mundança em 1582. O que o Papa Gregório  fez no calendário? Antes de 1582 o calendário Juliano tinha estado em efeito, instituído por Julio Cesar mais ou menos em 46 B. C.  e herdou o seu nome. Mas o calendário Juliano tinha calculado o tamanho do ano como 365 + ¼ de dia, e o ano, atualmente é 11 minutos menos que os 365 + ¼ de dia. Aqueles 11 minutos foram  acumulando-se, e até o ano 1582 os números do calendários estavam 10 dias a menos, fora de harmonia com o sistema solar. Gregório simplesmente acrescentou estes 10 dias ao calendário. Isto era Quinta-feira, 4 de outubro de 1582, Sexta-feira deveria ser o próximo dia 5 de outrubro. Mas ao invés disso, Gregório fez esse dia; Sexta-feira, 15 de outubro de 1582, trazendo o calendário de volta em harmonia com o sistema solar. Foram os dias da semana confundidos? Não. Sexta-feira continuou seguindo após Quinta-feira, e antes de Sábado. O mesmo sétimo dia permaneceu inalterado e o ciclo semanal não foi perturbado. Quando nós guardamos o sétimo dia no Sábado, nós estamos observando o mesmo dia que Jesús guardou, e Ele fez isso todas as semanas, de acordo com Lucas 4:16. “E, chegando a Nazaré, onde fora criado, entrou num dia de Sábado, segundo o seu costume, na sinagoga, e levantou-se para ler.”
  3. A terceira Evidência para o verdadeiro Sábado é a mais conclusiva de todas. Os povo Judeu tem observado o sétimo dia desde os tempos de Abraão, e eles continuam a guardar isso hoje. Aqui está – uma nação inteira – milhões de indivíduos – os quais vem continuamente mantendo atualizado, contando semana após semana, após semana, após semana, uma contabilidade meticulosa dos dias da semana até os dias de hoje. Eles estão fazendo isso a mais 3.000 anos, poderiam eles estarem errados? Impossível. O único jeito de ser possível era de que toda a nação entrasse em um profundo sono e por 24 horas todos perdessem a noção do tempo, e depois disso ninguém viesse a eles e lhes contassem o que havia acontecido. Nunca existiu mudança ou perda de Sábado desde que DEUS criou isso em Gênesis. A origem da semana é encontrada na história da criação. Não existe científica ou astronômica razão para medir-se a semana em ciclos de 7 dias. Isto é um arbitrário arranjamento de DEUS e tem sido milagrosamente preservado por uma razão – Porque o santo Sábado aponta para uma força criativa do único verdadeiro DEUS. Isto é um sinal de SUA soberania sobre o todo o universo e a vida humana; um sinal de criação e redenção. Não é essa a razão pela qual DEUS irá preservar a guarda do Sábado através de toda a eternidade?  Nós lemos em Isaías 66:22, 23: “Porque com os céus novos e a terra nova, que hei de fazer, estarão diante daminha face, diz o Senhor, assim ha de estar a vossa posteridade e o vosso nome. E será que desde uma lua nova até à outra, e desde um Sábado até ao outro, virá toda a carne adorar perante mim, diz o Senhor.” O Sábado é tão precioso para DEUS que o Seu povo irá observá-lo por toda a eternidade na linda nova terra que DEUS reconstruirá.  Se isso é assim tão precioso para Ele, não deveria isso ser precioso para nós também? E se nós iremos guardar o Sábado depois, não deveríamos nós guardá-lo agora também? Em uma era de falsos deuses, de uma ateística evolução e tradições do homem, o mundo necessita do Sábado, mais do que nunca como um teste de nossa lealdade ao Grande DEUS-Criador e como sinal de nossa santificação através de Sua força.
  4. A prova número 4 basea-se no fato de que mais do que 100 (cem) diferentes linguagens da terra usa a palavra “Sábado” para o sétimo dia da semana. Por exemplo, a palavra para o sétimo dia da semana em Espanhol é Sábado. No Português também é Sábado. O que isso Prova? Isso prova que quando esta centena de linguagens se originaram, a muito, mas a muito tempo atrás, Sábado era reconhecido como o sétimo dia da semana. E foi incorporado no próprio nome deste dia.

 

SÁBADO FOI SOMENTE UM  MEMORIAL DE LIBERTAÇÃO DO EGITO

Esta estranha idéia é tirada de um singular texto do Antigo Testamento e é distorcida para contradizer muitas e claras afirmações sobre a verdadeira origem do Sábado. O texto é encontrado em Deuteronômio 5:14, 15. “Mas o sétimo dia é o sábado do Senhor teu DEUS, não farás nenhuma obra nele, nem tu, nem tue filho, nem tua filha, nem o teu servo, nem a tua serva, nem o teu boi, nem o teu jumento, nem animal algum teu, nem o estrangeiro que está dentro de tuas portas; para que o teu servo e a tua serva descansem como tu. Porque te lembrarás que foste servo na terra do Egito, e que o Senhor teu DEUS te tirou dalí com mão forte e braço estendido; pelo que o Senhor teu DEUS te ordenou que guardassses o dia de sábado.”

Algumas pessoas tiram deste texto que DEUS deu o Sábado como memorial do Êxito do Egito. Mas a história de Gênesis sobre a criação do Sábado (Gênesis 2:1-3) e o que está escrito no 4th mandamento, que foi comandado pelo próprio DEUS (Êxodos 20:11) revelam o Sábado como memorial da criação.

A chave para entender estes dois versos basea-se na palavra “servos.” DEUS disse: “ Lembre-se de tu foste servo na terra do Egito.”  E na sentença anterior a esta Ele relembra eles “de que os seus servos como as suas servas devem descansar como eles também descansam.” Em outras palavras, a experiência que eles tiveram no Egito como servos, iria relembrá-los e fariam com que eles agissem justamente com os seus servos e servas por darem a eles o Sábado de descanso.

Em similar raciocínio DEUS comandou: “E quando o estrangeiro peregrinar contigo na vossa terra, não o oprimireis, Como um natural entre vós será o estrangeiro que peregrina convosco; amalo-ás como a ti mesmo, pois estrangeiros fostes na terra do Egito. Eu sou o Senhor vosso DEUS.” Levíticos 19:33, 34. Isto não era incomum, DEUS trazer à memória deles, o tempo em que eles foram libertados do Egito, como forma de incentivo para ele obedecerem a outros mandamentos. Em Deuteronômio 24:17, 18, DEUS disse: “Não perverterás o o direito do estrangeiro e do òrfão; nem tomarás em penhor a roupa da viúva. Mas lembrar-te-ás de qe foste servo no Egito, e de que o Senhor te livrou dalí; pelo que te ordeno que faças isto.”

Nem o comando para ser justo, nem tampouco o comando para guardar o Sábado foi dado para memorializar o Êxoto, mas DEUS falou a eles da sua bondade em tirá-los fora da captividade constituia uma forte adicional razão para que eles lidassem com brandura com seus servos no Sábado e que tratassem com justiça os estrangeiros e as viúvas. Da mesma maneira, DEUS falou a eles em Levíticos 11:45: “Porque Eu sou o Senhor, que vos faço subir da terra do Egito, para que eu seja vosse DEUS, e para que sejais santos, porque eu sou santo.” Certamente ninguém insiste que esta santidade não existiu antes do Êxodos, ou que isto seria para sempre depois desta época limitada somente aos Judeus, para memorializar a sua libertação.

 

GUARDAR O DOMINGO EM MEMÓRIA
À RESSURREIÇÃO

Isto é verdade que Jesus ressuscitou no primeiro dia da semana, mas em lugar nenhum existe a menor possível intimação na Bíblia para qualquer pessoa guardar este dia como santo. As bases para a Guarda do Sábado é uma direta ordem escrita pela mão de DEUS.

Muitos maravilhosos eventos ocorreram em dias da semana, mas nós não temos nenhum comando para guardá-los santos. Jesús morreu pelos nossos pecados na Sexta-feira. Isto provavelmente é o mais significante evento de todos os registrados na história. Isto marca o momento em que minha sentença de morte foi comutada e minha salvação assegurada. Mas nenhum texto Bíblico fornece nenhuma indicação de que este dia deveria ser observado, muito embora ele tenha sido um dia de tão grande significância.

Isto foi um momento dramático, quando Jesús ressussitou da tumba naquela manhã de domingo, mas não existe nenhum ínfimo sinal gráfico sequer na Bíblia que mostre uma evidência de que nós deveríamos observar este dia em homenagem à Sua ressurreição. Nenhuma instância de observação do domingo tem sido encontrada nos registros das Escrituras.

Existe, é claro, um memorial da ressurreição comandado na Bíblia, mas is não é a guarda do domingo. Paulo escreveu: “De sorte que fomos sepultados com ele pelo batismo na maorte; para que , como Cristo ressuscitou dos mortos, pela glória do Pai, assim andemos nós também em novidade de vida.” Romanos 6:4.

Batismo é o memorial da morte de Cristo, sepultamento e ressurreição. Aqueles que acreditam que a observação do domingo homenageia a sua ressurreição citam a reunião que ouve no andar de cima de uma casa em que os dicípulos se reuniram no mesmo dia da resssurreição. Para eles, esta reunião foi para celebrar a ressurreição. Mas quando nós lemos os registros Bíblicos do evento, descobrimos que as circunstâncias foram totalmente diferentes. Lucas fala-nos que, mesmo que os dicípulos tenham sido confrontados com o testemunho ao vivo de Maria Madalena, “eles não acreditaram.” E depois manifestou-se noutra forma a dois deles, que iam de caminho para o campo. E, indo estes, anunciaram-no aos outros, mas nem ainda estes creram. Finalmente apareceu aos onze, estando eles assentados juntamente, e lançou-lhes em rosto a sua incredulidade e dureza de coração, por não haverem crido nos que o tinham visto já resssuscitado.” Marcos16:12-14.

Óbviamente, nenhum daqueles dicípulos que estavam na sala acreditavam que Ele tinha ressuscitado, assim eles não puderam celebrar a ressurreição com gozo. João explica as suas razões para estarem juntos nessas palavras: “Chegada, pois a tarde daquele dia, o primeiro da semana, e cerradas as portas onde os discípulos, com medo dos judeus, se tinham ajuntado, chegou Jesús, e pôs-se no meio, e disse-lhes:  Paz seja convosco.” João 20:19.

Assim, nós temos examinado os maiores argumentos usados contra a observância do Santo Sábado de DEUS. Nenhuma das objeções provê um traço de evidência de que DEUS alguma vez tenha trocado a sua mente sobre o Sábado. Quando Ele escreveu “Lembre-se” no 4th mandamento, isto era em referência ao mesmo sétimo dia que aparece em nosso calendário de parede. Nem o homem nem os demônios podem diminuir a validade desta eterna lei moral.

            Possa DEUS garantir a cada um de nós a coragem de honrar o mandamento do Sábado como um celestial e especial teste de nosso amor e lealdade. Como nós descobrimos, quando Jesús retornar, nós iremos guardar este mesmo Sábado com Ele, nas eras do porvir, para todo o sempre. Ora vem Senhor Jesús. Amém

 

09
May

Pode o Homem Salvo Escolher se Perder?

PODE O HOMEM SALVO ESCOLHER SE PERDER?

 

Copyright  1980 by
Joe Crews (Amazing Facts)
All Rights Reserved

Published under permission by:
CPS – Computers, Peripherals & Software, Inc. (Educational Department)
72 Deerfield Drive
Franklin, NJ 07416-9712

Cover illustration by Ademir P. Soares
Cover Design by Ademir P. Soares

 

“Lança teu pão sobre as águas, porque, depois de muitos dias, o acharás”. Eccl. 11:1 

 PODE O HOMEM SALVO
ESCOLHER SE PERDER?

 

O poder de escolha é um dom maravilhoso dado por DEUS. No entanto existe uma escolha a qual DEUS jamais permitiu que o homem exercitasse. Ninguém pode escolher o nascer com ou sem a natureza pecaminosa. A decisão, a qual mais afeta a nossa vida, foi feita a muito, mas a muito tempo atrás pelos nossos pais ancestrais. Nós não temos absolutamente nenhuma escolha sobre o tipo de natureza que podemos ter por ocasião do nascimento. Isto é uma natureza pecaminosa. Ponto final! Se não  for mudada isto nos levará à morte eterna.

Mas mesmo que nós somos nascidos com uma natureza decaída, DEUS nos dá a escolha de trocarmos esta natureza. Isto é uma pessoal e soberana escolha que ninguém pode tirar de nós. Sem dúvida nenhuma esta é a mais importante decisão que uma pessoa pode tomar no decorrer de toda a sua vida. A escolha é se reteremos esta natureza pecaminosa e morremos eternamente, ou recebemos uma nova natureza através da fé em Cristo e vivemos eternamente.

Muitos disacordom sobre este tipo de escolha oferecida a cada um de nós. Milhões acreditam que DEUS somente uma vez na vida toda e depois fecha esta porta para sempre. Isto é como se DEUS dissesse: “Eu vou te dar somente uma chance sobre esta tua pobre condição. Uma vez você decide ser salvo você jamais poderá escolher estar perdido novamente. Quando voce aceita a JesúsCristo como o seu Salvador, esta será a tua escolha final que você para sempre fará  sobre o teu eterno destino. Se você mudar de idéia mais tarde e repudiar a decisão que você tomou, azar é o seu – é muito tarde. Não interessa  o quão profunda e sinceramente você deseja não ser salvo e arrepender-se de seu arrependimento, você não pode escapar de sua vida eterna. Não tem quantidade de amarga rebelião, blasfêmia deliberada, ou quantidade incontável de iniquidades; nada poderá  trocar sua anterior decisão  de ser salvo uma vez e para sempre. Eu não vou permitir a você qualquer futura escolha, depois de você ter aceitado a Jesús Cristo como seu Salvador.”

Basicamente, esta é a crença de um largo segmento dos cristãos, que advogam a doutrina da segurança eterna. Outro igualmente sincero grupo de cristãos acreditam que DEUS deixou a porta aberta para nós trocar a nossa idéia a qualquer momento. Eles acreditam que a salvação não é predicada somente mediante um ato ou uma escolha irrevogável do passado, mas mediante uma contínua e personal relação entre o crente e Cristo. Quando a decisão  de quebrar esta relação de amor é feita pela livre e espontânea vontade de desobedecer, o crente cessa de ser um verdadeiro cristão e rejeita qualquer segurança de salvação.

 

MILHÕES DE  ALMAS EM JOGO

A fantástica implicação deste assunto é inquietante. Se realmente existe uma incondicional seguridade futura para o crente, esta é a  mais maravilhosa doutrina em existência: mas se isso não é verdade, certamente que é uma das maiores heresias do mundo. Milhões podem ser salvos ou perdidos para sempre,  mediante a decisão que eles venham fazer neste particular ponto.

Deixe-me dar-lhes um exemplo de como isso influencia o destino das pessoas no dia-a-dia. Em uma de minhas cruzadas evangelistas tinha mais de cem pessoas, as quais acreditavam nesta doutrina da seguridade eterna. Eles estavam fascinados pela revelação da verdade Bíblica, na medida em que eles escutavam.

O Sétimo-dia  –  Sábado –  particularmente excitava-lhes, porque eles nunca haviam entendido isto direito antes. Todos estavam completamente convencidos de que Sábado realmente é o sétimo-dia, o verdadeiro Sábado das Escrituras, e eles ansiosamente aceitaram a grande profética doutrina também. Mas desta centena de pessoas, um número muito pequeno tomou a decisão em obedecer e perseguir a verdade. Praticamente todos eles tinham algum tipo de problema relacionado com o Sábado, conectado com seus serviços. Isto significaria um certo tipo de inconviniência, econômica e financeira, bem como situações difícieis de resolver e fatalmente acarretaria na perda de seus trabalhos, se eles se decidissem seguir a verdade até o fim. Todos eles, (os que rejeitaram a verdade) deram-me o mesmo tipo de explanação: – “Nós já estamos salvos,” eles disseram,  “porque correríamos o risco de perdermos o nosso emprego para guardar o Sábado?” Não iremos ficar nem mais um pouco salvos, por guardar o Sábado, do que  estamos agora, e nós certamente não estaremos perdidos por quebrar o Sábado.”

Você percebe como o argumento deles é consistente com a sua doutrina?  Para eles salvação não está conectada com obediência, ou avanço em espiritual crescimento. Tudo isto está focalizado num momento passado, quando eles fizeram uma decisão por Cristo. Com relação a se eles obedeceram ou desobedeceram qualquer subsequente revelação da verdade, não influenciaria em nada no seu destino final. Eles poderiam quebrar o 4th mandamento, o 5th mandamento, o 7th mandamento, ou todos eles, que assim mesmo eles se sentiam eternalmente seguros na promessa que eles uma vez fizeram:  “quando eles foram salvos”. Para ser exato, estas pessoas acreditavam que  sua desobediência poderia afetar o gozo e a paz de seu relacionamento, mas nunca a certeza de uma salvação eterna.

Óbviamente esta doutrina precisa ser profundamente examinada. Muitas e eternas consequências estão dependuradas mediante a aceitação ou rejeição de tal doutrina. Nós precisamos responder questões como esta: Podemos nós trocar de idéia com relação à nossa salvação? Entregamos nós totalmente o nosso poder de escolha na ocasião em que somos convertidos? Consiste a salvação por um acaso, de um grande, e santo momento de decisão, ou devemos nós continuar na graça salvadora de Cristo, depois dessa decisão? Pode DEUS aceitar o destruidor pecado em  seu santo reino? Afortunadamente, a Bíblia tem centenas de explícitos e maravilhosos textos para responder estas questões. Nós iremos olhá-los juntos, e também examiná-los (alguns deles), os quais têm sidos interpretados de uma certa maneira para  poder  suportar a doutrina de “uma vez salvo, salvo p’ra sempre”.

 

NÃO HAVERÁ PECADO NO CÉU

Falando da Nova Jerusalém, João disse: “E não entrará  nela coisa alguma que contamine, e cometa abominação e mentira; mas só os que estão inscritos no livro da vida do Cordeiro.” Apocalipse 21:27. Jesús disse: “Bem-aventurados os puros de coração; pois eles verão a DEUS.” Mateus 5:8. Paulo repetidamente escreveu sobre a exclusão dos pecadores no céu. Pecado é a única coisa que contamina, aos  olhos de DEUS, e ninguém, que voluntariamente comete pecados jamais herdará ou entrará em SEU reino. Paulo escreveu:  “Não sabeis que os injusto não hão de herdar o reino de DEUS? Não erreis: nem os devassos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas, nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbedos, nem os maldizentes, nem os roubadores herdarão o reino de DEUS.” I Corintos 6:9,10.

Não existe em lugar nenhum na Bíblia, qualquer tipo de verso que coloque a nossa entrada no reino de DEUS condicionada a uma momentária – ou até mesmo temporária – experiência de fé,  no passado. Salvação é um crescimento dinâmico de nossa relação com  aquele Ser Único, o Único que tem em si a vida eterna e pode concedê-la a nós.  Isto requer um contínuo contato para que possamos recebê-la. A própria vida de DEUS é repartida com o ser humano, MAS NUNCA APARTE DE UM RELACIONAMENTO VIVO  COM CRISTO!  “Quem tem o Filho tem a vida: Quem não tem o Filho de DEUS não tem a vida.” I João 5:12.

Justamente como a constante e criativa energia de DEU é necessária para sustentar o univero e segurar os átomos juntos, assim Sua Divina força é constantemente necessária para mantermos a vida espiritual na alma. Quando a pessoa livremente escolhe separ-se de DEUS, o contato é quebrado, e a vida espiritual cessa seu fluxo. Por outro lado, DEUS também jamais violará o direito de alguém com relação a esta escolha.

Para provar que nós podemos perder nossa conexão com Jesus Cristo e com isso estarmos perdidos, vamos ler João 15:1-6: “ EU SOU a videira  verdadeira, e meu Pai é o lavrador. Toda a vara em mim, que não dá fruto, a tira; e limpa toda aquela que dá fruto, para que dê mais fruto. Vós já estais limpos, pela palavra que vos tenho falado. Estai em mim, e eu em vós: como a vara de si mesma não pode dar frutos, se não estiver na videira, assim também vós, se não estiverdes em mim. Eu sou a videira, vós as varas: quem está em mim, e eu nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer. Se alguém não estiver em mim, será lançado fora, como a vara, e secará; e os colhem e lançam no fogo, e ardem.” Aqui Cristo explica um dos grandes mistérios da vida eterna. “ Eu Sou a videira, voces as varas…

 

O SEGREDO DE UMA CONTÍNUA VIDA
É UMA CONEXÃO CONTÍNUA  EM CRISTO

Note que o segredo de uma vida contínua é a constante conexão em Cristo. Se a pessoa não está conectada em Cristo, ela perece, morre e finalmente é queimada. Isto prova sem sombra de dúvida, que esta relação que o crente tem com Cristo não é uma relação estática, baseada em uma única experiência que o crente teve no passado. Isto é um corrente e mutual repartir de nossa vida em comum com Aquele que é “doador da vida.” Colossenses 3:4 fala assim: “Quando Cristo, que é a nossa vida, se manifestar, então também vós manifestareis com ele em glória.” Quando a vara se separa da videira a fonte da vida se vai, e somente a morte pode resultar desta separação. Estas palavras de Cristo estão muito claras para serem mal interpretadas! Até mesmo crentes fiéis e bons cristãos podem escolher separar-se da videira. Quando eles fazem, eles morrem e serão lançados no fogo e queimados. Nada pode murchar e morrer sem que previamente não esteja vivo.

Segurança é eterna somente para aqueles cuja fé é eternamente fixada em Jesus, e aqueles cuja vida está conectada Àquele o qual é a nossa vida. Óbviamente nós podemos escolher estarmos perdidos, não interessa o quanto nós estejamos salvos. Tudo depende em mantermos esta divina conexão com a verdadeira videira.

Jesus ensinou esta mesma verdade solene sobre o perder a vida eterna, na parábola do semeador em Lucas 8:12,13. “ E os que estão junto do caminho, estes são os que ouvem; depois vem o diabo, e tira-lhes do coração a palavra, para que não se salvem, crendo; E os que estão sobre a pedra, estes são os que ouvindo a palavra, a recebem com alegria, mas, como não têm raíz, apenas creem por algum tempo, e no tempo da tentação se desviam.” Existe muitas coisas para notarmos nesta parábola: a) Somente uma classe finalmente será salva – aqueles que trouxeram muitos frutos. Os grupos representados pelos que foram jogados pelo caminho e sobre as rochas não serão salvo. No verso 12, aqueles que estão juntos do caminho, não  tiveram a chance de  “acreditar e serem salvos”, mas no próximo verso aqueles que estavam sobre as rochas, “creram por um momento.”  Que tipo de crença é esta? Aqueles que creram por algum momento, por algum momento foram salvos, mas em tempo de tentação eles caíram. Eventualmente, é claro, eles foram deixados na perdição como os demais, excepto por aqueles que colheram frutos. Aquí está uma inequívoca lição de nosso Mestre e Senhor que pessoas podem ter uma fé salvadora por algum tempo, mas mesmo assim ainda podem perdê-la e estarem ‘perdidos.’

 

SEGURANÇA É ETERNA SOMENTE PARA AQUELES CUJA FÉ
É ETERNAMENTE FIXADA EM JESUS CRISTO

Aqueles que lêem os registros do evangelho cuidadosamente irão encontrar repetida autoridade de Jesus para renounciar a doutrina de segurança eterna. Em Lucas 12:42-46 Cristo descreveu em outra parábola como um fiél servo poderia se tornar em um servo infiél. “ E disse o Senhor: Qual é pois o mordomo fiél e prudente, a quem o senhor pôs sobre os seus servos, para lhes dar a tempo a ração?  Bem-aventurado a          quele servo a quem o senhor, quando vier, achar fazendo assim. Em verdade vos digo que sobre todos os seus bens o porá. Mas, se aquele servo disser em seu coração: O meu senhor tarda a vir; e começar a espancar os criados e criadas, e a comer, e a beber, e embriagar-se, Virá o senhor daquele servo no dia em que o não espera, e numa hora que ele não sabe, e separá-lo-á, e lhe dará a sua parte com os infiéis.” Eis aqui um perfeito exemplo pelo Mestre dos mestres, em como um fiél servo pode ser colocado junto com os inféis e ser punido juntamente. Jesus estava falando de um homem o qual Ele tinha visto ser fiél o suficiente para ele acreditá-lo e dar-lhe pesadas responsabilidades. Sem dúvida nenhuma, este servo representa àqueles que cuidadosamente serviram ao Senhor como verdadeiros  crentes. Mas o que aconteceu?  Aqueles mesmos crentes abandonaram o caminho da fé e colheram a ruína e morte eterna. Isto não nos lembra as palavras que nós entramos em Hebreus 10:38? “Mas o justo viverá da fé; e, se ele recuar, a minha alma

não tem prazer nele.” O servo da parábola, que era um fiél, é agora punido juntamente com os ímpios. O crente pode retroceder para a perdição!

 A SALVAÇÃO PODE SER DESPERDIÇADA

Mais uma parábola de Cristo pondo em focus o fato  de que o perdão é condicional para o crente. A história encontrada em Mateus 18:21-35, desenvolve-se em volta do perdão e misericórdia de DEUS.

Um certo rei respondendo às súplicas de seu servo perdôou-lhe um grande débito. Este servo foi à rua e encontrou um co-servante que lhe devia uma certa quantia e sem nem uma piedade e misericórdia lhe jogou na prisão porque ele não podia lhe pagar. Quando o rei ouviu o que estava acontecendo, ele rescindiu o cancelamento da dívida que aquele mau servo tinha perante ele e lhe entregou aos tormentadores de seu débito até que ele lhes pagasse totalmente.

Ninguém pode negar a óbvia lição que esta parábola nos está ensinando. Ainda que DEUS graciosamente perdôe àqueles que preenchem a aplicação para tal, este perdão não é sem condições para o futuro. Nós podemos perder este perdão se nós deixamos de mostrar misericórdia para com os outros. Isto está em harmonia com o que encontramos na Palavra de DEUS, em Ezequiel 33:13; “Quando eu disser ao justo que certamente viverá, e ele, confiando na sua justiça, pratica iniquidade, não virão em memória todas as suas justiças, mas na sua iniquidade, que pratica, ele morrerá.” Este princípio é repetido novamente no verso 18 desse mesmo capítulo; “ Desviando-se o justo da sua justiça, e praticando iniquidade, morrerá nela.”

O segredo está em manter uma justa relação com a Fonte da salvação. Jesús disse: “Mas aquele que perseverar até ao fim será salvo.” Mat. 24:13.  Ninguém será salvo, que não consiga sustentar o curso de pecados deliberados na força de DEUS. Aqueles que não conseguirem perseverar até o fim terão os seus nomes riscados do livro da vida. Advogados da segurança eterna negam que isso possa acontecer, mas leia  esta temerosa possibilidade  por voce mesmo em Apocalipse 3:5; “O que vencer será vestido de vestes brancas, e de maneira nenhuma riscarei o seu nome do livro da vida; e confessarei o seu nome diante de meu Pai e diante dos anjos.” Ao que vencer… Eu não riscarei o seu nome do livro da vida.” A implicação é clara, aqueles que não vencerem – que não resistirem até o fim – terão o seus nomes riscados.

Todos estes versos estão realmente dizendo a mesma coisa. Pecados voluntários fazem em pedaços o relacionamento pelo qual a vida eterna é obtida. Existe um eterno “se” em todas as considerações de eternal segurança. “SE” nós andarmos  na luz… o sangue de JesúsCristo seu Filho nos purifica de todos os pecados.” I João 1:7  “ Portanto , o que desde o princípio ouvistes permaneça em vós. SE em vós permanecer o que desde o princípio ouvistes, também permanecereis no Pai.”  I João 2:24.  “… SE ele recuar, a minha alma não tem prazer nele.” “SE alguém não está em mim, será lançado fora, e como a vara, secará; e os colhem e lançam, e ardem.” João 15:6  “Em verdade, em verdade vos digo: SE guardar a minha palavra, nunca verá a morte.” João 8:51.  “… SE permaneceres na sua benignidade; de outra maneira, também tu serás cortado.” Romanos 11:22.  “SE você fizer estas coisas jamais tropeçareis.”  II Pedro 1:10.  “…SE  retivermos firmemente o princípio da nossa confiança até o fim.” Hebreus 3:14. “SE o negarmos, ele também nos negará.” II Timóteo 2:12. “Porque SE percarmos voluntariamente, depois de termos recebido o conhecimento da verdade, já não resta mais sacrifício pelos pecados.” Hebreus 10:26.  “…SE alguém ama o mundo o amor do Pai não está nele.” I João 2:15. “Vós sois meus amigos, SE fizeres o que Eu vos mando.” João 15:14.  “SE viverdes segundo a carne, morrereis.” Romanos 8:13.

 

O PERIGO DE SERMOS JOGADOS FORA

Paulo reconheceu a temerosa possibilidade de ser tirado fora da presença de DEUS, no final, a não ser que contesse a propensão da carne para o pecado. Ele disse em I Corintos 9:27: “ Antes subjugo o meu corpo, e o reduzo à servidão, para que, pregando aos outros, eu mesmo não venha de alguma maneira a ficar reprovado.” A palavra que Paulo usou – reprovado – é muito interessante. Esta palavra vem do grego ‘adokimos’, a qual traduzida quer dizer reprovado. Em II Corintos 13:5 paulo declara: “Examinai-vos a vós mesmos, se permaneceis na fé; provai-vos a vós mesmos. Ou não sabeis quanto a vós mesmos, que Jesús Cristo está em vós? Se não é que já estais reprovados.” Tito 1:16 fala assim: “Confessam que conhecem a DEUS, mas negam-no com as obras, sendo abomináveis, e desobediêntes, e reprovados para toda a boa obra.” Certamente que Paulo não tinha nada mais em mente, mas de que ele poderia estar perdido se ele permitisse que o pecado recapturasse a sua vida novamente.

Paulo também fala da possibilidade dos crentes nascidos-de-novo sofrerem a condenação por terem participados da Santa-Cêia imerecidamente.  “Porque o que come e bebe indignamente, come e bebe para sua própria condenação, não discernindo o corpo do Senhor.” I Corintos 11:29. Ninguém pode negar que estas pessoas eram consagrados cristãos, co-participantes dos símbolos de sua redenção.

Poderiam eles cair em condenação e estarem perdidos?  Paulo diz que eles poderiam. O que é condenação? A mesma palavra grega (krima) é encontrada em Timóteo 5:12.

“Tendo já a sua condenação por haverem aniquilado a primeira fé.” Quão plano é que cristãos podem abandonar a sua ‘primeira fé.’ E perderem-se em total condenação.

Eu tenho escutados muitas e muitas vezes para esta explicação da segurança eterna, baseada na analogia da adoção. Meu filho é nascido em minha família e ele sempre será meu filho. Ele não pode ser un-nascido. Seja obediênte ou desobediênte, ele será sempre meu filho.” Este argumento evita o real e central assunto. A questão não é fato de que esta criança possa ou não ser un-nascida novamente, mas que ela pode adoecer e morrer. Nenhum doutor adverte ao jovem casal do perigo de seu baby se tornar un-nascido novamente, mas ele tem muito a dizer sobre como tomar cuidados adequados para com aquela nova vida, para que não venha a morrer. Em fato se este baby não for alimentado, muito em breve virá a morrer. Da mesma maneira, Jesús disse: “Na verdade, na verdade vos digo que, se não comerdes a carne do Filho do homem e não beberdes o seu sangue, não tereis vida em vós mesmos.” Sobre o que Jesús estava falando?  No verso 63 Ele explicou:  “O espirito é o que vivifica, a carne para nada aproveita; as palavras que eu vos disse são espírito e vida.” A não ser que o cristão viva pela Palvara de DEUS, ele não pode continuar a ter parte da vida espiritual que é derivada Dele. Temos estabelecido claramente que uma contínua obediência é necessária para uma final salvação?  Paulo escreveu:  “Não sabeis vós que a quem vos apresentardes por servos para lhe obedecer, sois servos daquele a quem obedeceis, ou do pecado para a morte, ou da obediência para a justiça? Romanos 6:16.  Quando o homem escolhe não obedecer a Cristo, e passa a fazer o mal, este homem não mais pertence a Cristo, mas a Satanás.  “Aquele que comete pecados é de Satanás.” I João 3:8.

O escritor do livro de Hebreus nos dá dezenas de específicas advertências contra o nosso abandono da fé. Hebreus 10:23 abre uma linha de argumento contra a posição “uma vez salvos, salvos para sempre”, que ninguem pode refutar. A passagem começa dessa maneira:  “Retenhamos firmes a confissão de nossa esperança; porque fiél é o que prometeu.” E depois dessa, advertência é dada àqueles que possam ser tentados em ausentar-se da assembléia dos crentes. Aparentemente, este é um dos primeiros sinais de nosso retrocesso espiritual. O autor da epístola, que eu creio foi Paulo, inclui ele próprio nesta advertência. Ele escreve: “Porque se pecarmos voluntariamente, depois de termos recebido o conhecimento da verdade, já não resta mais sacrifício pelos pecados, Mas uma certa expectação horrível de juizo, e ardor de fogo, que há de devorar os adversários. Quebrantando alguém a lei de Moisés, morre sem misericórdia, só pela palavra de duas ou tres testemunhas. De quanto maior castigo cuidais vós será julgado merecedor aquele que pisar o Filho de DEUS, e tiver por profano a sangue do testamento, com que foi santificado e fizer agravo ao Espírito da graça?  Isto é do verso 26 até o verso 29. O povo aqui descrito havia sido santificado pela verdade, mas caíu em uma voluntária apostazia.

Agora os últimos versos deste capítulo admoesta-nos com relação ao abandono de nossa confidência. Note isto cuidadosamente! “Não rejeiteis pois a vossa confiança, que tem grande e avultado galardão. Porque necessitais de paciência, para que, depois de haverdes feito a vontade de DEUS, possais alcançar a promessa. Porque ainda um pouquinho de tempo, e o que há de vir virá, e não tardará. Mas o justo viverá da fé; e, se ele recuar, a minha alma não tem prazer nele. Nós porem, não somos daqueles que se retiram para a perdição, mas daqueles que creem para a conservação da alma.” Hebreus 10:35-39. Agora, como poderia alguém fazer uma afirmação mais clara e precisa de que a salvação eterna é condicional na medida que a pessoa permanece persistente até o fim? Ao menos que lá existisse uma possibilidade que alguém pudesse perder sua confidência, e dessa maneira ser atirado de volta à perdição, porque iría  este homem de DEUS soar tal aviso como ele o fez?

Em Hebreus 6:4-6 nós encontramos uma outra intrigante afirmação: “ Porque é impossível que os que já uma vez foram iluminados, e provaram o dom celestial, e se fizeram participantes do Espírito Santo. E provaram a boa palavra de DEUS, e as virtudes do século futuro, E racaíram, sejam outra ves renovados para o arrependimento; pois assim, quanto a eles, de novo crucificam o Filho de DEUS, e o expõem ao vitupério.”  Agora eu penso que isso seria muito difícil descrever mais completamente a pessoa que tendo experienciado o novo nascimento, mas mais tarde se rebelou contra DEUS e rejeitou a Cristo e cortou o Espírito Santo. Ele colocou-se fora do alcançe de DEUS por suas próprias ações. Portanto, lá não existe possibilidade nenhuma que tal pessoa possa salvar-se, na medida em que ele continua a cruscificar Cristo com suas desobediências.

 

OS RAMOS PODEM SER CORTADOS FORA

No capítulo 11 de Romanos, Paulo está discutindo o fato de que muitos dos da semente de Israel rejeitaram o Filho de DEUS e dessa maneira cortados fora. A ilustração usada de uma oliveira. Os galhos eram os filhos de Israel, mas por causa da sua incredulidade, eles foram jogados fora, como você irá ver nos versos 17 a 20. Depois algumas oliveiras selvagens forma enxertadas, o que representa os Gentios Cristãos. Agora notem esta advertência: “E se alguns dos ramos foram quebrados, e tu, sendo zambujeiro, foste enxertado em lugar deles, e feito participante da raiz e da seiva da oliveira. Não te glories contra os ramos, e se contra eles te gloriares, não és tu que sustentas a raíz, mas a raíz a ti. Dirás pois: Os ramos foram quebrados, para que eu fosse enxertado. Está bem: pela sua incredulidade foram quebrados, e tu estás em pé pela fé; então não te ensoberbeças, mas teme. Porque se DEUS não poupou os ramos naturais, teme que te não poupe a ti também. Considera pois a bondade e a severidade de DEUS: para com os que caíram, severidade; mas para contigo, a benignidade de DEUS, se permaneceres na sua benignidade; de outra maneira, também tu serás cortado.” Por favor, notem de que a segurança para aqueles galhos dependiam inteiramente na conexão que eles tinham com ‘oliveira’. A segurança era condicional. Vamos ver se Pedro concorda com estes sentimentos de Paulo. Em sua segunda epístola, no primeiro capítulo, são listados um número de virtudes os quais devem ser manifestados na vida de todo o cristão. Estes são mencionados nos versos de 5 a 7, e notem que ele esta escrevendo para “aqueles que alcançaram fé igualmente preciosa pela justiça de do nosso DEUS e Salvador Jesus Cristo.” Verso 1. Depois eles receberam tudo o que diz respeito à vida e piedade, pelo conhecimento daquele que nos chamou por sua glória e virtude:” Verso 3.  Isto é bem aparente, que Pedro está endereçando estas características àqueles que foram convertidos. Mas notem a advertência que ele nos dá nos versos 9 e 10: “Pois aquele em quem não há estas coisas é cego, nada vendo ao longe, havendo-se esquecido da purificação dos seus antigos pecados. Portanto, irmãos, procurai fazer cada vez mais firme a vossa vocação e eleição; porque, fazendo isso, nunca jamais tropeçareis.” Certamente que isso está indicando que os cristãos podem abondonar a graça de DEUS. Eles podem voltar atrás de seguir a Jesús. Eles podem até virem ser apostatados na total essência da palavra. Depois, no terceiro capítulo, Pedro continua, dizendo: “Pelo que, amados, aguardando estas coisas, procurai que dele sejais achados imaculados e irrepreensíveis em paz.” Verso 14.  “Vós, portanto, amados, sabendo isso de antemão, guardai-vos de que, pelo engano dos homens abomináveis, sejais juntamente arrebatados, e decaias de vossa firmeza.” Verso 17. Assim, vemos que Pedro concorda com Paulo de que cristãos necessitam estar em guarda constantemente, do contrário, eles serão esquecidos e deixados de lado, e ele indica o triste fato daqueles que voltaram suas costas para o evangelho, levando uma vida de pecado, depois que foram convertidos.

Um dos mais fortes textos Bíblicos, que prova que a pessoa pode voltar suas costas para Cristo e perder-se, até mesmo depois que ele fêz sua profissão de ser salvo, é II Pedro 2:20-22. “Portanto se, depois de terem escapado das corrupções do mundo, pelo conhecimento do Senhor e Salvador Jesús Cristo, forem outra vez envolvidos nelas e vencidos, tornou-se-lhes o último estado pior do que o primeiro. Porque melhor lhes fora não conhecerem o caminho da justiça, do que, conhecendo-o, desviarem-se do santo mandamento que lhes fora dado; Deste modo sobreveio-lhes o que por um verdadeiro provérbio se diz: O cão voltou ao seu próprio vômito, e porca lavada ao espojadouro de lama.” A lição aqui é bem clara.

Agora, aqueles que tomam a posição de uma segurança incondicional dizem que o Filho de DEUS não pode ser representado por cachorros ou porcos. Bem, talvez eles não  possam, mas Pedro assim o fêz – e esta é uma das mais aptas explanações que encontramos na Bíblia. O provérbio é dolorasamente claro. Eles escaparam das poluições deste mundo através do conhecimento de Jesús Cristo nosso Senhor e Salvador. Eles foram  convertidos. Eles desfrutaram do estar ao lado de Cristo. Eles entregaram suas vidas a Ele, mas eles se lembraram do mundo e dos prazeres mundanos e seus pecados. Como os Israelitas saindo fora do Egito e lembrando-se das “panelas de carne” lá deixadas. Eles se lembraram dos prazeres do pecado; assim deixando a Cristo eles foram de volta ao mundo, assim como a porca lavada retorna à lama. Certamente que os cristãos não imitam os hábitos de suínos, mas o provérbio de Pedro mostra que isso é possível.

O Espírito de DEUS não faz silêncio com relação a este ponto. Escute:  “Mas o Espírito expressamente diz que nos últimos tempos apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores, e à doutrinas de demônios.” I Timóteo 4:1.  Quando isso irá acontecer?  Quando é que alguns apostarão da fé? Nos últimos tempos. Isto seria agora mesmo, não é mesmo? Isto seria nos tempos em que nós estamos vivendo, este tempo está bem à nossa frente. Se voce não pensou  disso antes, é melhor começar a pensar… Nós estamos vivendo em tempos realmente perigosos. E se voce ainda não se convenceu disso ainda, dê uma rápida olhada nos jornais de amanhã, ou melhor, pode ser só nos cabeçalhos das notícias.

Neste ponto “O Espírito expressamente diz.”  que isso realmente  significa? Isso significa o Espírito falando planamente, claramente – tão claro que é impossível não entender. Ok, tudo certo então, o que alguns irão fazer? Alguns irão apostatar da fé. Assim, isso é possível abandonarmos fé, não é verdade? Alguns fazem isso.  Eles tem estado na fé, eles tem adorado com os irmãos, eles tem atendido à igreja regularmente e às suas reuniões de adoração. Eles tem estado ativamente a propagar o evangelho, eles tem dado suas contribuições regularmente, eles tem sido pastores, oficiais da igreja, e líderes de suas igrejas, no entanto eles abandonaram a fé.  Eles não são persistentes e fiéis. Nós últimos tempos virão tempos difíceis, com perseguições e sérias dificuldades, e alguns não resistirão. Eles serão tentados pelas coisas do mundo e seduzidos pelos espíritos de demônios. Triste é dizer, eles desistiram de sua fidelidade ao ‘Homem da cruz.’Eles estavam do lado de Cristo, mas agora eles estão do lado do inimigo.

Mas escute – se você quer uma segurança incondicional, você pode tê-la. Ela está em Cristo, na sua permanência diária ao lado dele, dia-após-dia. Quando você toma a Cristo e persevera ao Seu lado, Lá está o segredo da vitória. E a Seu lado, jamais haverá falha, ou queda. Cristo nunca falha!  “Lançá o teu cuidado sobre o Senhor, e Ele te susterá; nunca permitirá  que o justo seja abalado.” Salmos 55:22. Ele estará do seu lado, enquanto você estiver do lado Dele. Jesus de Si disse: “ Eu sou o caminho a verdade e a vida.” João 14:6. E João assim escreveu do Senhor: “E o testemunho é este: que DEUS nos deu a vida eterna; e esta vida está em seu Filho. Quem tem o filho tem a vida; quem não tem o Filho de DEUS não tem a vida.” I João 5:11,12.

Muitos não-cristãos pensam que eles tem segurança. Eles irão dizer a você que eles crêem, Deus lhes irá admitir nos céus. Eles irão dizer, “Eu sou tão bom quanto a qualquer cristão que vai à igreja,” ou “Eu sinto que irei ser salvo sem ir à igreja.” Mas a verdade é: Nenhum homem será salvo baseado no que ele sente. Ele pode ser sincero, mas sua sinceridade não lhe salvará. Ele pode ser honesto, de confiança, de uma moral irrepreensível, um ótimo cidadão, mas isso não lhe salvará. Ele pode ser liberal, um suporte financeiro da igreja, uma pessoa que faz caridade e ajuda ao necessitado, mas nem isso é o suficiente para salvá-lo. Nenhum homem é salvo por suas obras, não interessa o quão boa elas possam ter sido.

Lembre-se disso, e por favor, nunca se esqueça:  Cristo é o Salvador, não as nossas dádivas, não as nossas obras. Ele oferece a ti e a mim, o dom gratuíto da salvação. E esta salvação está Nele, e quando voce recebe a Cristo, voce tem a salvação. “Aquele que tem o Filho, tem vida.” I João 5:12. Mas se voce não tem o Filho, voce não tem a vida, e voce não tem a segurança eterna enquanto voce não tiver a Cristo o filho.

 

O QUE SIGNIFICA PARA O CRISTÃO O
ABANDONO DO SEU PRIMEIRO AMOR?

Tenho, porém, contra ti que deixaste a tua primeira caridade. Lembra-te pois donde caíste, e arrepende-te, e pratica as primeiras obras; quando não, brevemente a ti virei, e tirarei do seu lugar o teu castiçal, se não te arrependeres.” Apocalipse 2:4,5.

Para o cristão abandonar o seu primeiro amor, é o retroceder, o cair, a apostasia, o abandonar a Cristo e Seu serviço, e seguir o serviço da tentação e do pecado, Satanás e o mundo. O Senhor chama a todos para que se arrependam e voltem às suas primeiras obras, (os frutos da caridade), ou então…  –  então o que? “Eu tirarei o castiçal de seu lugar.” Isto é um ultimato do Senhor. Se o pecador responde, arrepende-se e retorna ao seu primeiro amor, e faz as suas primeiras obras, tudo estará bem – ele será salvo. Mas isto depende dele, da escolha que ele fizer. Se ele não fizer isso, sua luz será retirada, irá embora e ele estará perdido.

 

SERÁ QUE O APOSTATADO SEMPRE RETORNA
AO SENHOR ANTES DE SUA MORTE?

Não, muito longe disto. Este foi o caso do primeiro rei de Israel, Saul. Está escrito de Saul que ele “se transformou em um outro homem.” “E o Espírito do Senhor se apoderará de ti, e profetizarás com eles, e te mudarás em outro homem.” I Samuel 10:6. Mesmo assim, Saul caíu de sua exaltada e alta posição, desobedeceu o Senhor, e por último tirou a sua própria vida. I Samuel 31:1-6.  Neste caso, não podemos dizer que Saul não fora convertido, porque DEUS disse que ele foi – no entanto ele tirou a sua própria vida, sem oportunidade de arrependimento.

NENHUM HOMEM PODE SALTAR FORA

Finalmente, vamos dar uma olhada no texto que provavelmente é o mais citado sobre qualquer outro verso da Bíblia, para suporte da doutrina da segurança eterna. Jesús disse: “E dou-lhes a vida eterna, e nunca hão de perecer, e ninguém as arrebatará da minha mão. Meu Pai, que mas deu, é maior do que todos; e ninguém pode arrebatá-las da mão  de meu Pai.”

Que tremenda promessa deveria ser esta para todos os crentes filhos de DEUS! Numa primeira vista, isto parece que garante um certo tipo de imunidade contra a perda da espiritualidade, mas nós não lemos o texto completo. O verso 27 é parte integral deste pensamento, ou promessa, e nele está assentada o fundamento para o cumprimento da promessa contida nos versos 28 e 29. “As Minhas ovelhas ouvem a minha voz, e eu conheco-as, e elas me seguem. E dou-lhes a vida eterna.” Por favor, notem que é somente os verdadeiros seguidores de DEUS que se aninham seguros na protetora mão de DEUS. Ele dá a vida eterna somente às fiéis ovelhas, as quais ouvem e seguem a Sua voz. Isto é o seguir e o ouvir que provê a imunidade contra o ser arrebatado para Satanás e seus agentes. A proteção é contra os inimigos que procuram arrebatar as ovelhas, mas não contra falta de fé das ovelhas que escolhem saltar fora da proteção da mão protetora de DEUS. DEUS nunca deu nenhum sinal de que ele iria interferir com o poder da livre escolha de seus seguidores. Cristãos podem escolherem estar perdidos bem como certamente, podem escolher serem salvos.

Somente pense o seguinte: O quão inútil seria as centenas de advertências Bíblicas com relação à apostasia, se fosse impossível para nós experienciá-las?  Porque teria O Espírito dirigido a Paulo e a Pedro e a todos os outros a escreverem tão solenes admoestações e advertências contra a perdição eterna, se eles não estivessem em perigo de sofrerem isso? E se isso é verdade de que uma vez salvos, salvos para sempre, certamente Satanás saberia disso. Portanto, ele nunca gastaria tempo em tentar aos crentes, sabendo o quão impossível seria para ele causar com que alguns crentes se perdessem. No entanto todos nós sabemos por experiência que Satanás trabalha, e até mesmo mais árduo para evitar que os santos sigam a Cristo.

Nós temos que concluir que salvação não consiste de um singular, simples e irrevogável ato do passado ou do presente. Estar salvo é a experiência de viver a própria vida de Cristo por divinos atributos e cedências. Isto nunca é real, excepto em contínua e dinâmica relação com Jesus, a fonte de vida eterna. Estar salvo tem que ser falado nos tres tempos, em ordem para que possa ser Bíblico. Isto aconteceu, está acontecendo e irá acontecer. Talvez esta explicação por Glenn Fillman poderá ajudar explicar isso melhor.

 

SALVO  –   PASSADO, PRESENTE E FUTURO

Bill Jones está pescando no oceano, a muitas milhas da costa. Repentinamente seu barco afunda. Ele não tem condições de nadar até à costa, em segurança,  pois está muito longe.  Quando de repente, aparece um outro barco pesqueiro, mas que está tão carregado que eles não podem trazer Bill Jones à bordo. Mas por causa que eles realmente querem salvar ao naufragado homem, a tripulação do barco lhe atira uma corda. “Hei, pegue esta corda, eles dizem. Nós iremos puxá-lo até a praia.” Quando Bill Jones pega a corda, ele diz: Muito obrigado meu DEUS, eu estou salvo!” E ele está, pelo menos enquanto ele estiver se segurando àquela corda. A Salvação e sua, mas ele tem um papel importante a desempenhar nisso. Se ele em algum momento soltar esta corda e recusar-se a continuar agarrado a ela, novamente ele estará perdido. Assim isto é com a pessoa que foi resgatada do pecado, enquanto ela estiver com sua mão estendida, segurando à mão de Cristo, estará salva. Se ela decide-se por soltar-se da mão de cristo e dar sua mão ao diabo, ela estará irremediavelmente perdida. Sua salvação depende da sua decisão e ação.

Atualmente, podemos propriamente falar de salvação em tres tempos – passado, presente e futuro. Podemos dizer: “Eu fui salvo” quando pegamos a corda, “Eu estou sendo salvo”, quando estou sendo puxado para a praia,  e “Eu serei salvo”, quando eu planto os meus pés firmemente na praia. A pessoa convertida foi salva da penalidade do pecado. Nós chamamos a isto justificação. Ela está sendo salva da força do pecado; nós chamamos a isto santificação. Ela será salva da presença do pecado quando Cristo vier; e isso será glorificação. Todos os três tempos são usados na Bíblia em conexão com ‘sendo salvo.’

Em Romanos 8:24 tem a expressão: “Nós somos salvos pela esperança”. Weymouth tem uma mais apurada tradução: Ele diz: “Nós temos sido salvos,” pretérito perfeito. A Versão Padrão Revisada, corretamente escreve a frase em I Corintos 1:18 como: “Para nós que estamos sendo salvos.” Depois em Atos 15:11, assim afirma: “Mas cremos que seremos salvos pela graça do Senhor Jesus.” Assim você viu, o passado, o presente e o futuro.

Agora deixe-me estar certo de que ninguém tenha uma impressão errada de minha ilustração sobre o homem que estava sendo resgatado do oceano. Por um acaso, o fato de ele ter que se agarrar à corda para poder ser salvo, significa que nós podemos ser salvos pelas nossas obras?  Não! Absolutamente não, (mil vezes), não! Lembre-se que ele estava sendo puxado para fora do oceano por uma outra força, que não a dele. Ele estava apenas cooperando com aquela força. Ele estava agarrando-se à corda. Ele tinha que fazer isso, se quisesse ser salvo. Como cristãos, nós temos que confessar nossa fé em Cristo, nós temos que permanecer fiéis a Ele, nós temos que botar pra fora os frutos da obediência; esta é a nossa parte em agarrar-se a Cristo. Ele nunca permitirá que nós se soltemos. A única maneira que nós podemos nos separar dEle é soltarmos a nossa mão deliberadamente e disconectar-nos dEle, mas nós é que temos a força de poder fazer isso. Nós continuamos como agentes morais libertos. Nossa liberdade de escolha não foi removida pelo fato de nos tornarmos cristãos.

A qualquer momento, em nossa vida cristã nós podemos decidir de voltar à nossa vida mundana, ao invés de buscar as coisas de DEUS e celestiais.

Nos somos salvos somente pela fé em Jesús Cristo como nosso Salvador. “E em nenhum outro há salvação, porque também debaixo do céu, nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos.” Atos 4:12 Por outro lado, nós mostramos nossa fé por nossas ações. Isto é a manifestação de nosso amor por Ele. Guardando os mandamentos de DEUS e fazendo o que é certo são meramente o resultado do Seu Santo Espírito habitando em nosso coração. Estes são os frutos do Espírito. Nós fazemos estas coisas, não para sermos salvos, mas por que nós estamos salvos e, enquanto nós amarmos ao Senhor com todo o nosso coração, nós seremos obediênte a Ele. Nós não soltaremos a corda. Nós iremos continuar a nos agarrar a Cristo como a nossa única esperança.

Este é o meu sincero desejo a todos voces, e a mim!

09
May

Olhos Escondidos, E Ouvidos Tapados

Olhos Escondidos Ouvidos Tapados

 

Copyright  1980 by
Joe Crews (Amazing Facts)
All Rights Reserved

Published under permission by:
CPS – Computers, Peripherals & Software, Inc. (Educational Department)
72 Deerfield Drive
Franklin, NJ 07416-9712

Cover illustration by Ademir P. Soares
Cover Design by Ademir P. Soares

“Lança teu pão sobre as águas, porque, depois de muitos dias, o acharás”. Eccl. 11:1 

 

Olhos Escondidos Ouvidos Tapados

Algumas das mais surpreendentes profecias encontradas na Bíblia tem a ver com a proporção de pessoas que irão serem salvas por ocasião da segunda vinda de Cristo. Jesus claramente ensinou que comparativamente, somente uma pequena parte estaria preparada para receber por herança O Seu reino e a vida eterna. Ele disse: “ Entrai pela porta estreita; porque larga é a porta, e espaçoso o caminho que conduz à perdição, e muitos são os que entram por ela. E porque estreita é a porta, e apertado o caminho que leva à vida, e poucos há que a encontrem.” Mat. 7:13,14.

Em Lucas 18:8, fazendo uma pergunta muito penetrante, Jesus implicou que ‘poucos’ poderiam ser muito menos do que  nós poderíamos esperar ou imaginar.  “Quando porém vier o Filho do homem, porventura achará fé na terra?” De novo, o Mestre falou da final separação, com estas palavras: “E como aconteceu nos dias de Noé, assim será também nos dias do filho do homem. Lucas 17:26.  Somente oito pessoas foram salvas do dilúvio e “assim como foi antes” assim será quando Ele vier pela segunda vez. Outra escritores Bíblicos e profetas usam uma linguagem similar para retratrar “o pequeno grupo”, “o remanescente,” e os “poucos” que irão provar ter fé até o final.

O fato de que só uns poucos e que serão salvos não é nem de perto tão chocante, como atual a razão dada na Bíblia para a sua perdição. Isto parece óbvio que a grande maioria desta multidão será excluída do céu ainda que eles tenham professados serem cristãos, O adorarem regularmente, e gastarem uma grande parte de seus tempos fazendo maravilhosas obras em Seu nome. Jesus disse: “Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! Entrará  no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus. Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome?  E em teu nome não expulsamos demônios? E em teu nome não fizemos muitas maravilhas? E então lhes direi abertamente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniquidade.” Mat. 7:21-23.

Estes versos revelam que a terra será inundada com uma torrente de falsas religiões nos últimos dias. Milhões irão gastar seu tempo, seus esforços e seu dinheiro em promover uma religião que involve certos tipos de aparentes milagres, aparentes dons espirituais, e muita e entusiasmadas atividades. Todos estes acontecimentos são citados explicidamente por nosso Senhor. No entanto, estes muitos serão finalmente e sua totalidade rejeitados por Jesus e serão literalmente barrados de entrarem no céu. Estou falando aqui, de uma verdade borbulhante, cristalina! Mais, muito mais pessoas necessitam  abrir seus olhos para esta pequena e mal-entendida situação que irá caracterizar o final dos tempos. Depois nós precisamos encontrar como evitar esta vasta, imensa desilusão que irá causar que uma grande quantidade de pessoas religiosas venham a perder-se.

Porque serão eles rejeitados, ainda que com sua devotada adoração e ministério no nome de Jesus? Isto tem causado para algumas pessoas um desespero de salvação. Como pode alguém saber que a sua própria religião não irá finalmente ser encontrada nesta categoria?  Deixe-nos seriamente olhar para resposta nestas questões. Nossa salvação não depende, ou está baseada em nossa sinceridade, mas mediante encontrarmos a verdade na Palavra de DEUS, e obedecê-la!

 

OBEDIÊNCIA É O ÁCIDO
TESTE DE UMA RELIGIÃO VÁLIDA

 

O primeiro ponto que nós temos que entender é este: ATIVIDADES RELIGIOSAS SÃO TOTALMENTE INÚTEIS, SE NÓS NÃO ESTAMOS FAZENDO A VONTADE DE DEUS. Cristo declarou que chamando o nome do Senhor, e até mesmo dirigindo-se através de programas humanitários, esquecendo-se do EU, será tempo perdido, se a obediência aos preceitos divinos são exlcluídas. Marque este fato sobre as tábuas de seu cérebro e nunca se esqueça disso – As Escrituras exaltam a OBEDIÊNCIA como o teste diferenciador de uma verdadeira/válida religião. Aqueles que se engajam em uma total entrega a pregar o evangelho em nome de Jesus – com tempo, talento e dinheiro – e não guardam Seus mandamentos, não podem encontrar o aprovamento de de DEUS. Em fato, por causa que eles não estão obedecendo Cristo, tais adoradores abrem a porta, pela qual Satanás pode entrar sem ser reconhecido, e operar milagres através deles, NO NOME DE JESUS, o qual eles o proclamam como pela força de DEUS. O melancólico apelo: “Não temos nós em Seu nome expulsados demônios? É prova positiva que que seus milagres foram realizados por alguma outra força, mas não por Cristo, ainda que usando o Seu nome. Se Jesus nunca os conheceu, quem mais poderia executar tais milagres? Somente Satanás. A Bíblia fala de “ espíritos de demônios que fazem prodígios”, em Apocalipse 16:14.

Só um momento, o que Jesus estava querendo dizer quando ele disse: “Eu nunca os conhecí; apartai-vos de mim, vós que praticai a iniquidade”? Como que alguém pode vir a conhecer Jesus? O amado João nos fala em I João 3:6: “Qualquer que permanece nele não peca; qualquer pe peca não o viu nem o conheceu.” E em I João 2:4, ele fala assim: “Aquele que diz: Eu conheço-O, e não guardad os seus mandamentos, é mentiroso, e nele não está a verdade.” Conhecê-Lo significa que nós O obedecemos. Biblicamente, isto é impossível ser um verdadeiro filho de DEUS enquanto nos recusamos a obedecer os mandamentos de DEUS. Uma desobediência voluntária corta totalmente a relação, afasta de nós a presença do Espírito Santo, pelo qual nós somos selados, e efetivamente remove o indivíduo da posição de graça em que ele estava.

Agora nós começamos a ver o quão simples é este teste de espíritos que estão no mundo de hoje. Já e tempo de olharmos para o passado as músicas estimulantes, as fervorosas oratórias e até mesmo as excitadas sessões de testemunhas e aplicar o teste que foi nos dado pelo grande Autor de toda a verdade – O próprio Jesús. Ele fez tremendamente claro que os originais requerimentos de DEUS permanecem imutáveis. A condição de obediência a qual poderia ter feito a permanência do homem no Éden, passou a ser a condição para a sua restauração ao Éden. “Se voce me ama, guardai os meus mandamentos.” João 14:15.

 

AMOR NÃO É LEGALISMO

Nós não podemos falhlar em enfatizar neste momento, que o elemento do amor o qual tem que satisfazer toda a aceitável obediência. Forcando as formas de cumprimento sem uma experiência pessoal de amor com Cristo o Salvador é totalmente fatal como o engano em omitir-lhe total obediência. Jesus teve que lidar com o frio formalismo dos Fariseus muitas e muitas vezes. E por causa que Ele totalmente condenou o programa de salvação através das obras, muitos assumiram que Ele considerara que a obediência já não era importante. Agora nós precisamos de ver a maravilhosa balança na doutrina de Cristo sobre fé e obras. Ele ensinava que obedecer em ordem para sermos salvos é o pior tipo de legalismo, mas obedecer por causa que nós estamos salvos é o ácido teste de uma verdadeira experiência religiosa. Obediência segue a uma verdadeira fé assim como o dia precede à noite. Incidentalmente, a palavra “legalista” tem sido atirada de um lado para outro com muito abandono. Eu temo terrivelmente que muitos cristãos tem sido considerados legalistas por causa de seu amor por Cristo os tem levado a serem mais particulares em sua obediência do que seus acusadores. Nunca esqueçam de que um legalista é aquele que acredita que pode ser salvo por seu trabalho. A pessoa que  que guarda os mandamentos por causa que ela não quer descontentar o DEUS que ele ama, não é legalista de maneira nenhuma. O velho argumento e frequentemente ouvido, “Eu prefiro ver um feliz e amável cristão que não guarda todos os mandamentos de DEUS do que ver a um não-amável o qual estritamente, guarda a todos os mandamentos da lei.” Porque tentar medir diferentes graus de culpa? Ambos estão completamente errados. Nosso sentimentos não tem nada a ver com isso. Cristo estabeleceu o padrão pelo qual somos medidos. Nada menos do que “a fé a qual opera pelo amor” será aceita.

Mas vamos retornar à alarmente proposição que a maioria da raça humana estará perdida, incluindo os fervorosos ativistas religiosos. Adoração é comandada na Bíblia e é um ingrediente necessário da verdadeira religião, mas irá uma completa hoste de adoradores cristãos se perder? Jesus disse: “Mas em vão me adoram, ensinando doutrinas que são preceitos dos homens.” Uma outra esmagadora afirmação da verdade! Pessoas irão adorar em vão, se elas rejeitarem a verdadeira doutrina, em favor da tradição do homem.

 

QUANDO QUE O ADORAR É EM VÃO?

Em muitas ocasiões Jesus falou da urgente necessidade de caminhar em toda a verdade conhecida. “Se eu não viera, nem lhes hovera falado, não teriam pecado, mas agora não teem desculpa do seu pecado.” João 15:22. “Se fosseis cegos, não terieis pecado; mas como agora dizeis: Vemos; por isso o vosso pecado permanece.” Quando o homem apreende um ponto de verdade na Bíblia e se recusa a obedecê-lo, ele é culpado de praticar pecado. Tal homem está lutando com o Espírito Santo, cujo trabalho primário é  conduzir e guiar à toda a verdade. Esta recusa em obedecer calcifica a conciência, causando o Espírito Santo a se afastar finalmente e com isso esta pessoa é dirigida a praticar o pecado imperdoável. Não se admira de que tal adoração é em vão. Em rejeitando os mandamentos de DEUS em favor das tradições humanas, o Espírito Santo é rejeitado.

De acordo com Atos 5:32 somente aqueles que obedecem são elegíveis a serem preenchidos com o Espírito Santo.

Vamos fazer uma pausa aqui, e considerar o profundo significado do que nós temos descobertos até aqui. A grande maioria das pessoas estarão perdidas, incluindo muitos dos operavam milagres no nome de Cristo, adoravam a Ele e clamavam conhecê-lo e consideravam-se Seus filhos. A razão pela qual eles irão se perder é que eles não O amaram o sucificiente para guardar todos os Seus mandamentos. Por alguma razão estes ardorosos trabalhadores da igreja aprenderam a olhar complacentes para a lei de DEUS. A maioria deles consideravam isto legalismo, acreditar que a desobediência poderia deixá-los de fora dos céus. Satanás cegou-lhes os olhos para a maravilhosa e íntima relação de obediência e amor. Milhões de protestantes Cristãos tem atualmente sido ensinados que sua obediência ou desobediência não pode ter efeito nenhum com relação à sua salvação.

Em vista desta profunda-enraizada tradição da cristandade de hoje, nós podemos ver como Satanás tem manipulado milhões e milhões de cristão a um estado de conciência a rejeitar os reclamos de DEUS relacionados com a sua lei moral. Sob uma torcida interpretação de uma graça barata (alguem tem chamado a isso de um  ‘enlameado amor’) o palco está preparado para a master estrategia de decepção. A final batalha entre a verdade e o erro se revolverá sobre a básica matéria da lealdade versus deslealdade, obediência versus desobediência. E  o principal foco será esquadrinhado encima do quarto mandamento, o qual contém o grande e distintivo sinal da força criativa de DEUS e sua autoridade.

 

DOMINGO — A TRADIÇÃO DO HOMEM

Isto parece mais do que coincidência que Jesus tenha soletrado:

“T r a d i ç ô e s   d o   h o m e m” como as falsas doutrinas que conduziriam a uma vã adoração. A chefe tradição hoje, a qual tem volvido multidões de guardar os Dez Mandamentos é a doutrina da guarda do Domingo.         Quase todos os cristãos de qualquer persuação religiosa podem defender e levantar nove dos Dez mandamentos. Somente o Sábado é que tem mexido e levantado um grande ódio com relação a este mandamento da santa lei de DEUS.

Quem  inspirou esta atitute de contenção com relação a esta pequena porção da Bíblia, a única que DEUS escreveu com o seu próprio dedo? Como é que  muitos milhões tem sido guiados a equacionar obediência com legalismo? A tragédia é que ministros tem largamente sido responsáveis em fazer pessoas afastarem-se da obediência. Repetidademente em minha cruzadas evangelísticas pessoas falam-me de que pastores referem-se ao Sábado com raiva. Incapazes de dar uma razão Bíblica para a guarda do  Domingo, e frustrados pelas insistentes questões de seus rebanhos, muitos pastores tornan-se em furiosos e emocionais ataques contra a validade da lei. Eu tenho encontrado que estes ataques geralmente seguem duas linhas de argumentos. O grupo fundamentalista de pregadores dão ênfase ao “espírito da lei” enquanto insistem de que a lei não é obrigatória. O que permite com que o específico sétimo-dia seja deixado de lado pelo domingo. O outro grupo, de teólogos mais liberais, contendem dizendo que não existe um dia especial de adoração e que o crente é totalmente livre para de qualquer reclamos da lei.

Desde que pecado, está definido na Bíblia como sendo “a transgressão da lei”, e Paulo afirma que “Onde não existe lei, não existe pecado,” qualquer ataque à lei, serve somente para enfraquecer a convicção do homem para com o pecado. I João 3:4; Romanos 4:15, Tiago nos fala que a quebra de qualquer de um desses 10 preceitos dos dez mandamentos nos torna culpados de todos os 10, e constitue transgressão ou pecado. Tiago 2:10-12.

Isto é uma séria matéria para trazer à terra confidência nessa grande, escrita-à-mão-moral lei de DEUS? Será que o homem encara o pecado mais levemente quando ele perde a fé da autoridade dos 10 Mandamentos? Sem sombra de dúvidas, isso acontece. A estranha circunstância de ministros ensinando pessoas a pecarem não é muito fácil de se compreender. Isto é somente quando nós estudamos as grandes linhas de profecias concernentes a estes últimos dias que nós começamos a entender este fenômeno. Aparentemente DEUS teve que lidar com pastores infiéis em ambos, no Antigo Testamento e no Novo Testamento. Alguns fortes julgamentos tem que ser pronunciados contra aqueles pastores que conduziram o seu rebanho por um caminho errado. Os Atalaias que não anunciavam  a verdade sobre o perigo que se aproximava eram considerados culpados das mortes que desse perigo pudesse resultar. Tais pregadores são atualmente tornados em agentes do maligno. Paulo escreveu, “ E não é maravilha, porque o próprio Satanás, se transfigura em anjo de luz. Não é muito pois, que os seus ministros se transfigurem em ministros da justiça: o fim dos             quais será conforme as suas obras.” II Corintios 11:14, 15. Somente o Livro inspirado poderia colocar um label assim de tal maneira. Aparentemente DEUS olha para tais homens atualmente, como ministros de Satanás porque eles tem medo de falar a verdade e, ao invés, acabam transmitindo suas próprias idéias. Já é tempo de entender a grande conspiração de Satanás para dirigir o homem do clero – líderes religiosos de alto nível – para ensinar doutrinas perversas no nome de Cristo. Paulo predisse que “Porque virá tempo em que  não sofrerão a sã doutrina; mas, tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme as suas próprias concupiscêcias. E desviarão os ouvidos da verdade voltando às fábulas.” II Timóteo 4:3, 4.

Interessante é notar que estes ensinadores dos últimos dias são descritos como tornando os seus ouvidos para longe da verdade. Isto quer dizer que eles viram isso, entenderam isso, mas não quizeram tomar conhecimento disso. DEUS fez o mesmo dipo de ataque aos seus Pastores do Antigo Testameno. “Os seus sacerdotes transgridem a minha lei, e profanam as minha coisas santas; entre o santo e o profano não fazem diferença, nem discernem o impuro do puro; e de  meus Sábados escondem os seus olhos, e assim sou profanado no meio deles.” Ezequiel 22:26.

Os pastores do Antigo Testamento fecharam os seus olhos para o Sábado e os ministros dos últimos dias irão tornar os seus ouvidos da verdade. Quão trágico! Em outras palavras, eles irão ver isso mas tentarão se ver livre disso renegando-se a continuar olhar par isso. Eu tenho frequentemente falado para ministros de diferentes convicções com relação ao subjeto do Sábado. Alguns tem honestamente admitido que Sábado é o verdadeiro Dia do Senhor que a Bíblia fala. Outros rejeitam isso por várias razões. Uns poucos não podem acreditar que DEUS era tão particular com relação a qual dia para observar. Eles justificam que DEUS iria ser compreensivo com aqueles que acharam mais conveniente guardar um diferente dia outro do que o sétimo-dia. Alguns ministros que eu tenho falado realmente não aceitam a Bíblia como a inspirada Palavra de DEUS.

 

PREGADORES EM DÚVIDA

Isto é chocante a realidade de que o quanto o cepticismo e o alto criticismo tenham roubado muitos pastores de sua fé na Bíblia. Até mesmo muitos dos da velha guarda, conservativas denominações evangélicas

 

 

Translate »